LENDO MINHA REDAÇÃO NOTA 1000 NO ENEM 2018 | Lucas Felpi

LENDO MINHA REDAÇÃO NOTA 1000 NO ENEM 2018 | Lucas Felpi


Oi pessoal! Bom dia, boa tarde e boa noite
pra quem estiver assistindo. Meu nome é Lucas Felpi, eu fui um dos que tirou 1000 minha redação
do Enem 2018, e se você não me conhece mas esse daqui é meu canal.
Hoje eu vou fazer um vídeo que foi muito requisitado por vocês no meu último
vídeo de redação, que foi sobre minha experiência no Enem. Se você não assistiu,
deve estar aqui em algum lugar para você assistir, porque obviamente que eu queria que você
assistisse. Mas que é lendo e analisando a minha redação propriamente dita, que foi
a que obteve nota máxima no Enem do ano passado. O Inep liberou recentemente os
espelhos das redações do Enem 2018, então, enquanto eu for lendo, eu vou deixando aqui embaixo o parágrafo que eu estou analisando no momento para vocês poderem ver também como eu
escrevi, como era minha letra, como eu organizei isso no papel. A minha redação
já estava disponível antes no site do Estadão, eu esqueci de deixar o link aqui nos outros
vídeos, mas eu vou deixar o link na descrição e vou deixar na descrição também a
redação completa para você poder ler a hora que você quiser, a parte que você
quiser, durante esse vídeo. Então vamos lá! Antes de tudo, eu queria agradecer pelo
alcance que o canal teve nesses últimos tempos. A gente recentemente bateu 10 mil
inscritos aqui no canal, e isso que eu só tenho 4 vídeos e 1 mês de YouTube.
Então assim, se você quisesse me maratonar, você gastaria no máximo meia hora, e obrigado pelo
interesse e pelo apoio, porque eu não estava imaginando tudo isso. O vídeo que
eu comentei sobre a minha experiência no Enem do ano passado já teve mais de 87 mil views e
10 mil likes. Eu não tenho nem palavras pra descrever o tão contente que isso
me deixa, porque o meu sonho sempre foi ajudar outras pessoas, sempre foi
disponibilizar meu conhecimento para ajudar os outros, então esse momento está
sendo muito incrível por isso. Eu tenho a chance de ajudar muitas pessoas ao mesmo
tempo, milhares de pessoas ao mesmo tempo. No momento em que estou gravando esse vídeo já tem 11 mil e 700 inscritos. No momento em que eu lançar já nem sei mais quantos, porque está em um
negócio absurdo, que eu não imaginava. Mas muito muito muito obrigado, de
coração. Bom, eu vou começar a ler a minha redação, mas antes eu queria falar qual era o tema
para quem não sabe: o tema da redação do Enem 2018 foi “Manipulação do
comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”. Então o que significa
mais ou menos? É um tema que trabalhava bastante com os algoritmos que a
internet utiliza com o uso diário das pessoas.
Por exemplo, se uma pessoa tem uma opinião específica em um determinado
assunto, ela vai acabar vendo muito mais conteúdo daquela opinião do que do resto
das pessoas, do que a opinião contrária, porque o Facebook, o Twitter, o Instagram, as
redes sociais, a internet no geral, analisa o que você faz, o que você gosta, o você curte, e mostra para você o que ela acha que é mais relevante assim, o que ela
acha que você vai gostar mais, o que é mais agradável. Ou melhor, o que você vai
consumir mais. Bom, eu vou começar a ler a introdução, lembrando
que eu vou lendo e parando para soltar algumas dicas do que eu usei, algumas
táticas que eu possa mostrar pra vocês no meio do texto. “No livro 1984 de George
Orwell, é retratado um futuro distópico em que um Estado totalitário controla e
manipula toda forma de registro histórico e contemporâneo, a
fim de moldar a opinião pública a favor dos governantes. Nesse sentido, a
narrativa foca na trajetória de Winston, um funcionário do contraditório Ministério
da Verdade, que diariamente analisa e altera notícias e conteúdos midiáticos para
favorecer a imagem do Partido e informar a população através de tal ótica”. Então nessas
primeiras duas frases da introdução eu introduzi um exemplo, uma citação, uma
referência de um livro, para abordar o tema da redação.
Até aí, eu só falei do livro e da referência, mas você percebe que já tem um enfoque
direcionado para a proposta. Já tem um enfoque direcionado à manipulação, ao
controle, à alteração de notícias e conteúdos,
então isso, o avaliador já percebe que você está caminhando em direção do tema e
para construir sua argumentação. Além disso, eu gosto de ressaltar que nessas
citações é muito legal você colocar coisas específicas sobre a obra, o filme,
a série, que você está citando. Por exemplo, eu falei de Winston, o personagem
principal, o Ministério da Verdade, o Partido, são nomes que são específicos do
universo da obra 1984 e que mostram que você realmente leu e estava envolvido com
essa referência que você citou. Agora a gente vai caminhar para a
transição para o tema da redação e para a sua tese.
“Fora da ficção, é fato que a realidade apresentada por Orwell pode ser
relacionada ao mundo cibernético do século XXI.
Gradativamente, os algoritmos e sistemas de inteligência artificial corroboram
para a restrição de informações disponíveis e para a influência
comportamental do público, preso em uma grande bolha sociocultural”. Nessa única
frase, eu transitei para a apresentação do tema real da redação, e já falei a minha
tese. Uma coisa marcante nessa transição é o conectivo: eu gosto muito de usar
coletivo “fora da ficção”, porque você faz o contraste entre a ficção da obra que
você citou, e a realidade do problema que você está abordando. Além disso, a
minha tese é composta por dois núcleos (eu gosto de chamar de dois núcleos) porque eu falo
que é bom colocar dois fatores, dois núcleos na sua tese, para desenvolver
dois parágrafos (um parágrafo de cada núcleo). Nessa redação, os meus dois núcleos
eram a restrição de informações disponíveis (que os algoritmos faziam) e a
influência comportamental do público. E, no caso, esses dois núcleos são uma relação
de causa e consequência, porque a restrição de informações causa a
manipulação e a influência do público. No meu segundo parágrafo, o primeiro
parágrafo de desenvolvimento, eu vou desenvolver o meu primeiro núcleo, que a
restrição de informações. Então vocês vão perceber, vai ficar mais
claro, que eu vou abordar só esse tema, só esse problema, nesse primeiro parágrafo.
“Em primeiro lugar, é importante destacar que, em função das novas tecnologias,
internautas são cada vez mais expostos a uma gama limitada de dados e conteúdos
da internet, consequência do desenvolvimento de
mecanismos filtradores de informações a partir do uso diário individual.
De acordo com o filósofo Zygmunt Bauman, vive-se atualmente um período de liberdade ilusória, já que o mundo globalizado não só possibilitou novas formas de
interação com o conhecimento, mas também abriu portas para a manipulação e a
alienação semelhantes vistas em 1984. Assim, os usuários são inconscientemente
analisados pelos sistemas e lhes é apresentado apenas o mais atrativo para
o consumo pessoal”. Então eu citei mais uma referência, dessa
vez uma referência de filósofo (Zygmunt Bauman) para dar força para o meu
argumento de que isso é um problema real. Zygmunt Bauman já dizia que a internet é um
espaço de liberdade ilusória, em que as pessoas acham que têm liberdade para ver
tudo e fazerem tudo, e tem muita informação, é tudo muito bom, mas não
percebem que isso pode ser uma ilusão quando a própria internet
controla o que a gente está vendo e mostra só o que mais atrativo.
Detalhe: eu usei Bauman mas não tive que falar de “modernidade líquida”. É legal
você pesquisar outras teorias de filósofos famosos para não precisar citar teorias
que todo mundo já cita. Eu tinha certeza, quando eu li o tema, que muita gente ia citar
modernidade líquida de Bauman nessa redação,
mas eu pensei ‘não preciso descartar o filósofo só porque muita gente já vai
citar’. Você pode citar uma teoria diferente para se destacar. Mesmo assim, não tem
nenhum problema se você usasse “modernidade líquida”, não estaria errado, é
só uma dica para você fazer uma coisa diferente, fora do padrão.
Então, no segundo parágrafo de desenvolvimento, o terceiro parágrafo do
texto, eu vou falar da consequência disso, que é o meu segundo núcleo da tese. Vocês vão
perceber que vai ficar uma relação muito explícita de causa e conseqüência, porque
vocês vão perceber que o colectivo que eu vou usar já da relação de que o terceiro
parágrafo é consequência do segundo parágrafo.
Então agora, nesse parágrafo, eu vou desenvolver a influência comportamental do público.
“Por conseguinte, presencia-se um forte poder de influência desses algoritmos no
comportamento da coletividade cibernética. Ao observar somente o que lhe
interessa e que foi escolhido para ele, o indivíduo tende a continuar consumindo
as mesmas coisas e fechar os olhos para a diversidade de opções disponíveis.”
Nessa primeira frase do parágrafo, eu já explicito como é o problema da
manipulação, o que é essa manipulação. Eu já digo que quando você mostra uma gama
pequena e limitada para uma pessoa, ela vai tender a continuar consumindo essas
mesmas coisas, e imaginar que só existem essas coisas no
seu mundo, por isso a ideia da bolha. “Em um episódio
da série televisiva Black Mirror, por exemplo, um aplicativo pareava pessoas para
relacionamentos com base em estatísticas e restringia as possibilidades para
apenas que a máquina indicava, tornando o usuário passivo na escolha.”
Aqui está o lugar da citação de Black Mirror que todo mundo decidiu falar, que virou
manchete em todos os lugares, que virou título, que virou “o garoto do Black Mirror no Enem”.
Porque, eu decidi usar uma coisa que não é tão comum, é uma coisa mais de cultura pop,
que as pessoas não tem o costume de pensar que se encaixaria numa redação de Enem.
Esse episódio que eu citei é o episódio 4 da quarta temporada de Black Mirror, que é
chamado de Hang the DJ, no qual tem um universo onde as pessoas têm o aparelhinho,
uma máquina, como se fosse um Tinder, que escolhe com quem elas vão se relacionar. Então
ele diz o horário, o local, onde tem que se encontrar com a pessoa, ele propõe
um primeiro encontro entre as duas pessoas, e, conforme for esse encontro, ele dá o tempo do relacionamento, que eles vão ter que passar juntos, numa casa. A pessoa não
escolhia o parceiro com que ela ficava, ela era apresentada uma única opção, tinha
que ir lá, e depois tinha que se relacionar com a pessoa independentemente do que ela quisesse.
Por isso eu digo, nesse último trecho, que torna o usuário passivo na escolha,
porque, realmente, a escolha acaba sendo passiva: a pessoa não decide, quem decide
é a máquina, é a tecnologia, é a internet, como a gente está falando aqui nesse texto.
“Paralelamente, esse é o objetivo da Indústria Cultural para os pensadores da Escola de
Frankfurt: produzir conteúdos a partir do padrão de gosto do público para
direcioná-lo, torná-lo homogêneo e, logo, facilmente atingível”. Então, eu crio uma relação
de paralelismo entre Black Mirror e a Escola de Frankfurt, pra juntar no tema da
manipulação, porque Black Mirror está falando pra gente que o usuário se torna passivo, ele
não está tendo poder de escolha, e a Escola de Frankfurt fala qual é o poder da
indústria nisso: quando o usuário não escolhe, fica mais fácil de atingir ele. Por
isso o interesse das grandes empresas, das redes sociais, e da internet em si, em
continuar com os algoritmos. E agora, no último parágrafo, parágrafo de conclusão, eu vou
apresentar minha proposta de intervenção, com os meus cinco fatores da proposta e
concluir o texto com uma retomada de ideias e referências que eu usei ao longo
do texto. “Portanto, é mister que o Estado tome
providências para amenizar o quadro atual. Para a conscientização da
população brasileira a respeito do problema, urge que o Ministério de
Educação e Cultura (MEC) crie, por meio de verbas
governamentais, campanhas publicitárias nas redes sociais que detalhem o
funcionamento dos algoritmos inteligentes nessas ferramentas e advirtam
os internautas do perigo da alienação, sugerindo ao interlocutor criar o hábito
de buscar informações de fontes variadas e manter em mente o filtro a que ele é
submetido”. Então nessa primeira parte do parágrafo, eu falei qual era minha
proposta para mudar isso, para tentar amenizar a situação.
Eu começo com uma frase de efeito, “é mister que o Estado tome providências”, e depois eu
vou apresentar realmente qual é a proposta concreta. Essa proposta tem que
ter os cinco fatores que o Enem cobra: o agente, a ação, a finalidade, o modo/meio
e o detalhamento. Nessa proposta, a gente encontra os cinco, porque eu tenho uma
fórmulazinha, umas dicazinhas, que conseguem deixar bem claro pro avaliador
onde estão essas cinco, que eu vou explicar agora. Quando eu começo a falar da proposta, eu
uso o colectivo “para”: esse coletivo já dá a ideia de finalidade que vai ser
apresentada. Depois, “urge que o Ministério de Educação e Cultura (MEC)”:
já falei do agente, o Ministério de Educação e Cultura. “Crie, por meio de
verbas governamentais, campanhas publicitárias nas redes sociais”: aqui já estão
dois fatores numa coisa só. “Crie campanhas publicitárias” é a minha ação,
“por meio de verbas governamentais” é o meu modo/meio. “Por meio de” é um coletivo que já
deixa muito claro que você vai falar sobre o modo como aquilo vai ser feito, o
‘como’ aquilo vai ser feito, então já deixa muito para o avaliador que está ali o seu
modo/meio, um dos fatores você precisa ter. “Que detalhem o funcionamento dos
algoritmos (…)” é o meu detalhadamento. Tudo isso vai entrar dentro do detalhamento,
porque eu detalhei muito bem o que teria nessas campanhas. Eu não só falei
conscientizem a população: não, eu disse ‘Criem campanhas nas redes sociais que
falem sobre como funcionam esses algoritmos, o que você pode fazer para sair dessa
alienação, o que você pode fazer para buscar informações em outras fontes”.
Então eu termino com uma última frase, uma última retomada de referências e
ideias do texto inteiro, pra fechar muito bem e dar aquela firmeza pro avaliador
terminar e falar ‘Essa pessoa planejou muito bem o texto’.
“Somente assim, será possível combater a passividade de muitos dos utilizam a
internet no país e, ademais, estourar a bolha que, da mesma forma que o
Ministério da Verdade construiu em Winston de 1984, as novas tecnologias
estão construindo nos cidadãos do século XXI. Então, você consegue ver que nessa frase eu dou uma força maior para a minha
proposta, falando que a proposta vai ser eficaz, que a proposta vai solucionar o
problema e ela vai estourar a bolha, ela vai cortar pela raíz o problema, tirando
a alienação e tirando a manipulação que a gente tem falado até agora. E, além
disso, a coisa que eu acho mais forte e mais interessante de vocês colocarem nos seus
textos, e que eu fiz aqui, foi retomar ideias, palavras e referências que você
usou ao longo do texto numa frase só. Olha aqui: eu usei a passividade que eu falei na parte de Black Mirror; eu usei a bolha sociocultural, que eu falei na minha
última linha da introdução; e eu falei de Winston e do Ministério da Verdade de
1984, que foi a minha primeira referência de todas, lá no começo. Eu acho essa retomada de ideias e referências, lá no último parágrafo, essencial no texto,
porque acho que mostra um projeto de texto muito consistente, mostra o que a
gente chama de “texto-circuito”. Se você viu meu outro vídeo sobre minha experiência,
você vai saber o que é texto-circuito. E eu gostaria de deixar um último recado,
falando que, não se preocupem: o texto é muito grande, mas porque minha letra é
pequena, como vocês devem ter visto. Então eu espero que essa leitura tenha ajudado
vocês, tenha trago algumas dicas e experiências, algumas técnicas novas. Espero ter matado a curiosidade de quem tava comentando lá no outro vídeo que
queria ler. Eu esqueci disponibilizar o link do Estadão nesse outro vídeo, mas
está aqui agora. Eu queria muito ler mesmo, e analisar, depois que saísse o espelho.
Muito obrigado por assistirem, muito obrigado. Eu peço que você se inscreva no
canal, e além disso, vão me seguir no Instagram, que é @lfelpi, porque
enquanto eu não solto vídeo aqui, eu estou sempre lá postando stories com
conteúdos, fazendo análise de séries e filmes para usar na redação (que nem usei
Black Mirror), então, vão conferir lá, e pra vocês não
ficarem de fora. Então muito obrigado, e até a próxima!

Danny Hutson

100 thoughts on “LENDO MINHA REDAÇÃO NOTA 1000 NO ENEM 2018 | Lucas Felpi

  1. Vim de escola pública e tirei 840 na redação do ano passado. É questão de esforço individual sim !

  2. Vejo que muitos falaram sobre o modo como ele escreveu e usou as palavras na redação, dizendo que as palavras são dificeis e intelectuais, para isso há apenas uma solução: Livros e dicionários. Ler me ajudou muito a aumentar meu vocabulário e também a escrever de modo geral, você só precisa sair da sua zona de conforto e procurar ler livros mais complexos, vai abrir sua mente e ajudá-lo com a leitura, se em algum livro você encontrar uma palavra difícil é só usar o dicionário para aprender mais, abraços.

  3. Parabéns, eu daria 1000 na sua redação. Na conclusão, remeteu ideias apresentadas no primeiro e segundo parágrafo. Obrigado por disponibilizar seu conhecimentos com outras pessoas. Fico na torcida por você, forte abraço.

  4. Redação muito interessante! Tão distinta das “redações forma” que os cursinhos mostram. Parabéns!

  5. Por Lucas você é bem inteligente mano.. parabéns pelo seu canal e tirado as nossa dúvidas do Enem..

  6. Sei que meu comentário aqui nao tem nada a ver com o tema mas .hoje em dia muitos jovem nao fazem Enem e mal se formam. por causa que os pais não ter condições de lhe da as coisas e sim temdo que trabalha.e outra triste realidade hoje de 100% dos jovem 20% levam escola e estudos a sério .

  7. Eu tenho 14 anos então ainda estou um pouco longe do enem kakaka, mas mesmo assim eu me interesso em ver esse tipo de vídeo para fazer redações futuras e eu queria saber como você pensa em tantas citações, você fez algum tipo de estudo ou coleta de informações antes da redação??

    Obrigado, eu realmente não te conhecia antes desse vídeo e eu adorei o seu tipo de vídeo e conteúdo, bejus.

  8. Caraca , quantos anos vc tem?
    Eu tenho 13 anos , porém , tenho um vocabulário particularmente "expandido" , e não entendi várias palavras kkkkk

  9. Tenho treze anos e estou, desde já, procurando algumas dicas para estudar para o Enem. É, de fato, muito difícil, ainda mais para mim, que sou pobretão. Boa sorte para mim e para vocês, que também estão aqui para aprender.

  10. Теперь ютуб рекомендует мне португальские видео, а не китайские еее

  11. Pergunta: O Enem pede a permissão do autor da redação antes de disponibilizar ela na internet para todo mundo ver? Isso sempre foi uma curiosidade minha 🐥

  12. Caramba o máximo k eu tirei foi 480 em 2018…
    460 em 2017… Kkkk queria ter um primo ned pra mim ensinar a tirar pelo menos 700 pontos….

  13. Ah… queria agradecer também por você disponibilizar tantas dicas de graça, isso é muito bom pra quem não tem condições de pagar por um curso. Obrigada por sua humildade e generosidade.

  14. Você precisa falar mais devagar por favorrr, eu cansei ao correr atras da sua voz!!!! Fica dica #nerd 😉

  15. Oie Lu, adorei seu vídeo! Parabéns pela nota 💛
    Mas tenho uma dúvida: você não acha q citar tanta coisa quebra um pouco o raciocínio?

  16. Corrige aí, gente! Não posso pagar um corretor. Sem grana! 😓

    🔴 TEMA: A NECESSIDADE DE CONHECER EXPERIÊNCIAS HISTÓRICAS DE VIOLÊNCIA E OPRESSÃO PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA SOCIEDADE MAIS DEMOCRÁTICA.

    A Constituição Federal de 1988 garante a todos os brasileiros a participação no processo político do país e o pleno acesso à democracia. Contudo, a necessidade de conhecer experiências históricas de violência e opressão, para a construção de uma sociedade mais democrática, torna-se um óbice a tal garantia em sua amplitude no Brasil. Diante dessa perspectiva, convém analisarmos as principais causas, consequências e uma possível medida atenuadora para esse impasse na contemporaneidade.

    Em primeira análise, vale ressaltar a indiferença da população em relação ao passado histórico do país como um dos principais motivadores dessa problemática. De acordo com o jornal Folha de São Paulo, o Brasil ocupa o segundo lugar no mundo entre os países em que as pessoas mais têm a percepção equivocada sobre a realidade sociopolítica atual e seus vínculos pretéritos. Isso mostra o quanto é comprometedor tal desinteresse dos cidadãos, uma vez que o conhecimento é determinante para o desenvolvimento de uma nação. Dessa forma, é inconcebível que os setores da sociedade civil organizada continuem passivos diante de sua responsabilidade em promover a cultura e o bem-estar social.

    Por conseguinte, pode-se afirmar que o risco de um retrocesso civilizatório somado à submissão político-ideológica é um legado desse contexto. Consoante o pensamento do escritor e filósofo irlandês do século XVIII, Edmund Burke, "Um povo que não conhece a sua história está fadado a repeti-la". Assim, quando deveria desenvolver suas faculdades críticas de liberdade e igualdade, a população assume o risco de retroceder a regimes ditatoriais antes vigentes no Brasil. Desse modo, é inadmissível que um país constitucionalista permita tamanho descaso com o futuro das novas gerações refletido na ausência de políticas educacionais mais eficazes.

    Em suma, faz-se mister uma providência resolutiva do Estado, para suprir tal necessidade. Para tanto, o Governo Federal deve desenvolver projeto de reeducação sociocultural por meio de parcerias público-privadas, com palestras educacionais de resgate das memórias de violência e opressão registradas na história política brasileira, nas escolas públicas e particulares do ensino básico e médio, promovendo reuniões de debate sobre o tema nas universidades. Espera-se, com isso, reverter esse atual cenário de apatia e passividade intelectual, a fim de que a sociedade possa, de fato, ter acesso às liberdades constitucionais previstas na Carta Magna brasileira.

  17. Lucas não tem como mandar pra gente o link da sua redacao escrita a mão mesmo quero visualizar ela assim tipo passinho por passinho cada vírgula cada ponto cada mínimo detalhe

  18. Gratidão sempre por compartilhar
    Parabéns amei sua abordagem divercificadas palavras diferenciadas é muito merecido seu 1000

  19. Com a sua redação podemos perceber que não basta saber as técnicas de redação.. tem que ter uma base de conhecimento muito grande para poder fazer citações e engajamentos! Sua redação ficou perfeita! Parabéns…

  20. Realmente redação muito top parabéns merecedor do 1000.
    Também ajudou muito por que eu não intendendo muito de redação fico mais perdido do que. Cego no tiroteio 😂😂😂😂😂

  21. eu: vou estudar pro enem
    *ligo o pc pra ver video aula*
    eu 10 minutos depois assistindo videos de pessoas que passaram no enem enquanto eu me ferro:

  22. Eu sou muito burra… Assisti essa série ano passado, adorei ela. Relacionava os episódios com quase tudo que eu via e no dia da redação eu só escrevi besteira. 🙄
    Nem pra eu lembrar disso e escrever uma besteira com exemplos 😂

  23. lendo sua redação me emocionei de felicidade por saber que temos em nossa nação mentes brilhantes como a sua …voce vai muito mais longe que imagina um abraço

  24. Redação:

    Redação:

    O total público limitado

    “Um corpo tende a permanecer em seu movimento, até que uma força maior mude seu percurso “. Segundo a primeira lei de Newton, a lei da inercia. Viver em rede no século xxi , é ter acesso a 80% de informações no bolso com alguns clicks, o acesso a informações influenciam os usuários a utilização de aplicativos e sites, com acesso direto a informações pessoais.

    Hodiernamente, os usuários procuram à facilitação em tudo, e isso se diz a entrada direta em aplicativos que necessitam de dados pessoais como data de nascimento, nome completo, e até à numeração de documentos. Hackers cibernéticos, vem utilizando muito da curiosidade do público virtual para efetuar crimes sem a percepção dos usuários.

    Somando isso, muitos crimes são perceptíveis através do cadastro da pessoa física, (CPF). Esses estelionatários buscam ti induzi a compras “ fantasmas", com preços e propagandas de produto bom a pouco custo, feita a compra, o consumidor é lesado com a perda do dinheiro e do produto.

    Desse modo, é mister que haja a denúncia realizada pelo afetado nas delegacias especializadas para crimes cibernéticos, também é evidente que o público tome cuidado com o que se acessa, se é de fato de total procedência. Nem toda facilidade é de bom caminho a se percorrer.

    Notas ?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *